rss
email
twitter
facebook

segunda-feira, junho 30, 2008

Se eu tivesse uma horta..


Até que ponto as pessoas estão para nós como nós estamos para elas? Que problema existe em nos darmos quando sabemos que as pessoas reconhecem a nossa amizade, a nossa pureza de sentimentos e o nosso verdadeiro gosto de estar lá? E quando isso não acontece porque é que nos desiludimos tanto e nos sentimos tão sozinhos? Quem nos deu os sentimentos sabia que íamos sofrer tanto nesta vida tão cheia? Porque será também que nos agarramos tanto às coisas más e tornamos triviais os gestos de amor que nos dão e damos aos outros? Fazemos com tanta facilidade a infelicidade, e tornamos os dias mais cinzentos com nuvens escuras e lágrimas, sentimo-nos os piores seres, os mais magoados, os mais injustiçados, as piores vitimas do mundo, quando temos a sorte de simplesmente estarmos vivos e em sociedade..temos sorte não temos? Apetece-me nascer de novo tantas vezes, e as vezes estúpidas que pedi a Deus para me levar deste mundo..que ingratidão! É tão bom cair para me aperceber que a vida é isto, se caí estou viva, e se estou viva levanto-me.. dou valor aos momentos mais difíceis, aos momentos em que me sinto sozinha, para que como hoje possa olhar para trás e pensar: Epá já estive tão mal e hoje tenho TUDO isto.. e é tanto..e é cada vez mais. Olho para os meus amigos e vejo neles e nas vidas paralelas à minha e reflicto que passaram por outras coisas, porque problemas todos temos como seres humanos que somos..e também os ultrapassaram e sinto-me tão orgulhosa deles.

Comecei este texto a falar das pessoas e dos sentimentos e sinto uma alegria enorme em partilhar convosco que não há nada mais rico para mim do que nos darmos aos outros. Alguém nos valorizará, cuidará de nós, segurará nas nossas mãos cheias de tudo e tantas vezes de nada e nos dára alento e força. Muitas vezes pensamos que não, que estamos sozinhos, que sofremos mais que toda a gente, que o mundo é enorme e ninguém olha por nós, que cada um se preocupa só com a sua vida , o seu delicado umbigo, mas tenho a certeza absoluta que não.

Hoje penso no que vem por aí, e penso com coragem, esperança e pura alegria. Amanha serei mais feliz que hoje, e no outro dia ainda mais.. até a felicidade se constrói. Como? Não cultivando a infelicidade, que como sabemos é o caminho mais fácil e mais fraco que existe.

Se eu tivesse uma horta… era uma horta muito cheia de amigos.

Tania*

1 comentário:

Nuno Veras disse...

Seu tivesse uma horta... se eu podesse mesmo semear o que eu quisesse... bem, então digo-te mesmo que a ti não semeava. Não queria ter Tanias, ou imitações de Tânias porque tu és unica... és só tu! Não seria sensato haver mais Tânias por mais que por vezes me apetecesse ter só para mim e naturalmente estares na tua vida, ocupada com as tuas coisas! :) Mas acima de tudo eu tenho a sorte de poder ter a TANIA original na minha vida, que felizmente é bastante cheia de tanta coisa boa...
Mas é verdade que "problemas todos temos" e é mesmo com eles que nós avançamos nas nossas vidas e aprendemos a resolver os obstáculos que nos aparecem... Crescemos sempre que os resolvemos! por mais que nos custem... e é nos momentos menos bons que damos valor às coisinhas que nos parecem mais caninas!

Se eu tivesse uma horta... plantava boas energias e distribuia no mercado (negro) :P

Facebook